terça-feira, 8 de junho de 2010


Dizem que a identificação e a fascinação conduzem ao sonho da consciência.
Mas este conceito é confuso...
Principalmente no meu mundo ...

Mundo estranho,
este onde navego ...
de mares étereos,
marinheiros cegos,
sem norte ...
cujo rumo me confunde ...

O que esta a minha Frente e a minha retaguarda, são quinquiharias perto do que esta dentro de mim...
Isso movimenta minha febre pela conquista ...

Os recursos de que necessito para viver bem não estão na exterioridade.

Estão aqui dentro... sou um livro transcedental repleto de conhecimentos e sentimentos imortais ...

O que me aflige é a fragilidade em exercitar a leitura de mim mesmo ...

E quem não exercita a leitura de si mesmo provavelmente ficará retido na capa e distanciado do seu conteúdo!

Correntes dominam minha psiqué ... sera esse meu destino?

Gostaria de compreender-me ... não ter asas e poder voar ...
Ter o céu como fundo ir até o fim do mundo e voltar ...
E depois me abraçar ... certo do que quero ...
liberto destes meus sentimentos impossiveis !

E estes pensamentos me empurram, para o indecifrável ...




Por hora é isto,
Paradigmas ... que me tornam um Pirata ... Caçador de mim ...




De que adianta falar cinco linguas se não somos capazes de falar conosco mesmos?





Prezados (As)

Aqueles que porventura navegarem por estes mares, deixo meu abraço e votos de dias felizes.

Em breve este espaço será desativado, abrindo caminhos para um blog interativo com abordagens exclusivas ao que permeia saberes e práticas Júridicas. Uma espécie de caderno universitário.
A quem interessar, deixo desde já meu convite para visitas.

O endereço será divulgado em breve.

Abraços
Luciano Braz



9 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Aguardaremos você com pedidos de "volte logo". Um abraço

angela disse...

Quanto tempo amigo!
Senti saudades de seus belos versos e textos e hoje pude me alegrar com seu poema cheio de questões universais. Bem que gostaria de voar também.
beijos

ValeriaC disse...

Adorei seu post amigo...estarei te aguardando... beijos
Valéria

Poeta Mauro Rocha disse...

Ola!! A falta de ausência não deixa que tua presença seja sentia, pois cada texto seu é a certeza que sempre estará aqui!

E como a Esfinge decifra-me ou morra.

O bom da vida é termos esses mistérios que tentamos entender que nós mesmos não somos nós mas os mesmos.

Um abraço!

Louise Oliveira disse...

Gostei muito do seu texto. Parabéns!
Bjs! Lu

Majoli disse...

Eu passo sempre, sempre, sempre...e deixo recadinhos de saudades.

Gosto muito de te ler.

Quando voltares com esse novo blog, certamente estarei lá também.

Beijos com carinho enorme no ♥

Livinha disse...

Meu amigo e poeta querido.
Sentimos saudade de ti, a gente sempre esperando num porto que acreditamos ser seguro, o aguardo de tua passagem, trazendo tuas riquezas que por mais que te seja ora indecifrável, creia que n'algum instante aclararão teus olhos e você saberá de onde vens e pra onde irás.
A consciência é o estado de razão, que na medida do tempo segue despertando para a compreensão das coisas que nos instante de aflição nos inibem o aclaramento.
Eu adoro as tuas exposições, bem a quem do que em si guarda a curiosidade do saber, do querer se conhecer mais e isto é a mola que te impulsiona a correr de encontro nas buscas incessantes das respostas que tanto te burilam. Não perca a esperança, não sinta-se cansado, lute porque está na travessia todos teus entraves do passado e que na medida da caminhada vão se reparando. Alguns você presente, outros você tem a certeza de sentir, outros mais ainda, uma intuição que te asserena o compreender e você saberá se colocar no instante do pensamento, dando-se a conclusão do teu parecer.
Sempre estarei por aqui, te acompanhando, seguindo os teus passos na medida que surges com tuas boas novas.
Seja feliz Luciano, você pode dentro de tua capacidade de ser e sentir.
Admiro por demais a tua inteligencia diante de tuas tão profundas indagações.

Lindo dia pra ti

bjs
Livinha

Mari Amorim disse...

Excelente semana,

Sobre o curso d'água,
Perseguindo sua sombra,
Desliza a libélula.
Boas energias sempre,
Mari

Mari Amorim disse...

Passei para ler teu poema,e desejar-lhe um excelente final de semana,
Boas energias,
Mari