sábado, 7 de novembro de 2009

Cortinas de Ferro! Abstrato ...

O Abstrato

Serei apenas o abstrato
Um porta retrato
Sem a fotografia?
Que na parede da vida
Restou a moldura esquecida
Sem graça, úmida e fria.

Ou serei um vento fino
Disfarçado de destino
Ditando regras a esmos?
Baralho de cartas marcadas ...
E o perdedor sempre ...

Palavras jogadas ao vento ...

Herdando seu veredicto
De um julgamento maldito,
Condenando ...

Este é um trecho do poema ABSTRATO cuja autoria é de Josué Oliveira.



Na segunda feira pela manhã, antes de ir ao trabalho, estava lendo as noticias da semana na internet, quando um moço gentil bateu a minha porta para entregar a revista Veja, ao dar aquela olhadinha rápida sobre as manchetes logo me prendi a leitura da colunista Vilma Gryzinski que me deixou indignado e foi objeto de reflexão durante todos estes dias, ao olhar a imagem (esta que esta neste post) fiquei a imaginar como as pessoas envolvidas neste contexto social devem sentir-se mediante a tamanho caos, mais que isto, se fosse para poetizar esta realidade como a poetizariam? neste momento lembrei-me das palavras do meu amigo Josué, então resolvi compartilhar minha percepção de tudo isto através de suas sensíveis palavras.



Para quem não leu ...

Massacre no mercado das mulheres
Foram mais de 100 vítimas inocentes no Paquistão, outras 160
no Iraque e um silêncio ensurdecedor no resto do mundo

Todo atentado terrorista é hediondo, mas o que aconteceu na quarta-feira em Peshawar, no Paquistão, teve uma característica particularmente perversa. O carro-bomba, com motorista suicida, serpenteou pela área de um mercado ao ar livre bem na hora em que as mães pegam os filhos na escola e vão comprar comida para fazer o jantar. A explosão matou mais de 100 pessoas, na maioria mulheres e crianças. Com o mesmo método e a mesma filiação ideológica – o radicalismo islâmico, recrudescido diante da percepção de que os Estados Unidos vacilam –, outros dois carros lotados de explosivos provocaram carnificina no centro de Bagdá: mais de 160 pessoas estraçalhadas. Tão assombroso quanto as bombas foi o silêncio mundial ante o horror do massacre dos inocentes. Os jovens anarquistas de roupas moderninhas que fazem quebra-quebra a cada reunião do G-20 ou do FMI? Nada. As senhoras de cor-de-rosa que protestam contra todas as ações militares dos Estados Unidos? Caladíssimas. E os imãs, os chefes das mesquitas ou os fiéis comuns dos países muçulmanos, indignados com a matança de seus irmãos de fé? Nem pensar. Os motivos obedecem a razões deturpadas. Em relação ao Iraque, é porque as vítimas são xiitas, que ascenderam ao poder com a derrubada de Saddam Hussein, e qualquer manifestação de apoio a eles é vista como endosso à invasão americana. O mesmo raciocínio
enviesado se aplica, em outras condições, ao Paquistão, onde talibãs e companhia barbarizam. O governo do Iraque pediu à ONU que abra um inquérito sobre os atentados. Será interessante ver como o pacifismo seletivo reage. Já apareceu o primeiro abaixo-assinado?

Vilma Gryzinski




Como podem ver, a noticia vem a calhar com a concepção dividida com vocês na última postagem, de que "A violência jamais resolve os conflitos, nem sequer diminui suas conseqüências dramáticas"
Quanto a matéria, muito pertinente a Vilma quando retrata a realidade da consciência social, vemos estas coisas e dizemos “estamos em outro pais, não temos nada haver com isto, a guerra é deles” 3 dias depois esquecemos de TUDO.
Temos coisas mais importantes a fazer, afinal, tivemos que passar a semana fazendo movimentações e discursos ao mundo sobre as palavras inconseqüentes do nosso queridíssimo governador do Paraná, que deu uma de Berlusconi, e disse que câncer de mama é coisa de mulher ou de parada gay.
Nesta semana que inicia o assunto será outro, o mundo comemora os 20 anos da queda da Cortina de Ferro (denominação dada por Churchill ao muro de Berlin) isto é bom,e sim um grande marco, porém talvez devêssemos aproveitar o momento para pensarmos em estratégias para derrubar os demais Muros Infernais que separam as pessoas da dignidade, e do direito de viver, realidade que assola vários pontos do planeta.
Bom mas antes de reclamar da porta fechada, é preciso tentar abrir a maçaneta. Lembro das palavras de um ator Americano (Jonathan Harshman) “Se o seu navio não chega, nade até ele”A palavra “navio” (do latim “navigiu”) designa uma embarcação de grande porte. Este tipo de transporte é para longas distâncias. Seu calado (profundidade abaixo da linha d’água) o impede de chegar a águas rasas.
Logo, para quem fica esperando uma grande vitória na vida (como um navio) e ela demora a se concretizar, talvez seja necessário tomar a iniciativa, sair da comodidade da praia e nadar até ele. Muitas vezes depende de nós completarmos o que falta para que tudo dê certo.
Fica a pergunta a vocês meus amigos : Podemos fazer algo ?

Abraço a todos e Ótima semana.


Luciano Braz

24 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Boa noite, amigo!
Gostei muito! Apesar da tristeza, há positividade perante a atitude a se tomar.
Já passou da hora, Luciano. Venho falando isso há muito tempo. Mas ainda há quem goste de bicar um buraco no asfalto e esconder-se nele. Engolir tudo, não se conscientizar de que o mundo é muito maior do que o ego.
Já lhe contei que a semana passada o meu Blog foi clonado 3 vezes? Tomei as providências e amarrei tanto, julgando que a coisa não se repetiria. Não é que se repetiu? Agora mesmo. Publiquei duas vezes e as postagens não caíram.
Triste constatar isso. Não por mim, jamais canso.
Triste de quem faz e refaz.
Desculpe-me o desabafo, amigo. Temo ter sido egoísta (ego) demais.
Abraços,
Bom Domingo e Boa Semana para todos,
Renata

Ariadne disse...

Caro amigo!
Uma coisa que ninguém sabe é que Deus nunca desejou dar um rei ao povo. Mas o povo na sua soberba, na sua ignorância, clamou tanto à Deus, que este deu o tal do rei para governar. Foi aí que tudo começou.
Enquanto Deus governava através de seus profetas, guerras existiam por falta de conhecimento, hoje por excesso de poder.
Beijos meu lindo!

Wanderley Elian Lima disse...

Meu amigo Luciano, é lamentável que coisas desse tipo ainda aconteçam, estamos ainda ma Idade Média e o mundo assiste a tudo isto calado. Que pena.
Forte abraço

Sandra Botelho disse...

Infelizmente, o homem tem se tornado cada vez mais ignorante, mesmo com tanto progresso...
Quem poderá entender a mente humana...
Até onde pode ir a maldade humana?
Sem limites acho eu...
Tenha umm doce domingo se isto for possivel mediante tanta dor que assola nossos irmãos pela terra.
Bjos no coração!

angela disse...

Acho que a dificuldade reside em muitos fatores é dificil pensar em algo para fazer tão longe, justamente por isso foram criadas essas entidades.
Agora, acabei de pensar lendo seu post, que não votarei em ninguem que tenha passado terrorista nas proxímas eleiçoes. Não é uma questão de ser de esquerda ou de direita, foi terrorista, guerrilheiro, ou que nome queiram dar, praticou atos de violencia em nome de um mundo melhor Tô fora.
belo post amigo.
beijos

Lídia disse...

Olá Luciano!
Maravilhosa e muito verdadeira a sua reflexão e o poema do poeta Josué caiu como uma luva (aliás ele amou o novo enfoque que vc deu ao poema dele). A humanidade, não é de hoje que se encapsula, cada indivíduo em seu mundinho particurar, deixando que os outros se explodam. Tanto que os poucos que pensaram e agiram diferente são até hoje homenageados, lembrados, seguidos e venerados (Jesus, Gandi, Madre Tereza...). Não é característica do ser humano a ngenerosidade e o despreendimento de si mesmo. É preciso um espírito evoluido para isso. Infelizmente a humanidade ainda é muito pobre no amplo sentido da palavra; pobres de espírito como dizia Jesus. Mas cabe aos que enxergam: ver, falar, gritar, questionar, exigir, brigar. Porque se todos calarem, as pedras gritarão (Jesus)ou imagens como essas que, mudas, gritam aos ouvidos sensíveis.
Linda postagem

Lídia

Lidia Sirena Vandresen disse...

Sua postagem lembrou-me este pequeno poema que fiz, o qual se me permitir, vou colocá-lo aqui neste comentário:

Mundo surdo.

Cansada de gritar ao ruído ensurdecedor,
Calei.
Convicta da inutilidade de gemer minha dor,
Silenciei.
Um grito a mais na gritaria,
Absurdo.
Um gemido perdido num mundo surdo,
Ironia.
Com meu grito, enterrei meu sonho de criança.
Com meu gemido, sufoquei a minha esperança.

Lídia Sirena Vandresen
(27.11.07)

Abraços

Lídia

Vivian disse...

...Luciano querido,
desde que o mundo existe,
existem as guerras, as contendas,
as divisões criadas pelo egoísmo
humano, e isso não terminará
jamais, porque o homem é um
guerreiro por natureza, se não
tiver confusão ele não gosta,
porque é pequeno, porque é
ignorante da própria força
interior, e assim só se realiza
nas forças do ego alimentado
pelo rancor e ânsia de poder.

poder ilusório,
quando sabemos que somos
meros aprendizes nesta
escola da vida.

diante desta realidade,
resta-nos então vibrar
para que as forças brancas
nos guiem para o discernimento
e consequentemente para a paz.

beijos, querido!

tenha um lindo domingo!

Everson Russo disse...

Boa tarde meu querido amigo e poeta, primeiramente fico muito feiiz com sua visita e seus comentarios, saiba que são muito importante pra mim e pra sequencia do Livro dos Dias. Penso que nessa vida, todos nós estamos sujeitos a virar uma fotografia amarelada num porta retrato, a virarmos palavras esquecidas, tudo são ciclos, são estações que vem e vão, o que a gente tem que fazer sempre, é jogar palavras amenas ao vento, porque quando esse vento voltar, nos traga o aroma do amor...forte e fraterno abraço, uma semana de paz pra voce e toda sua familia....

Pena disse...

Olhe, sabe o que penso, Admirável Amigo:
Os Muçulmanos e daqueles lados do mundo possuem uma cultura, uma religião e uma conduta muito peculiares e de imensa significação para eles.
Tentar introduzir novos valores, novos princípios, novas ideologias, novos pensamentos, é ofensa, é ilícito, é condenável, não as aceitam e reagem com a violência que sempre os caracterizou, sabe fabuloso amigo?
Com a invasão dos E.U.A. do Iraque tudo piorou. Sim. A Carnificina das Torres Gémeas?
Sob esse ponto de vista é a única justificação plausível de retaliação, mas essa única, para mim.
Sofreu de insegurança o mundo todo, todo o pavor de como se vive hoje,não pensa assim, extraordinário amigo...?
Sei que não tenho toda a razão ou mesmo nenhuma, mas, desculpe, é o que sinto.
Vivemos nas sociedades com pavor do terrorismo de grupos violentos e eles existem cada vez mais.
Vivemos com medo de que os nossos sofram na pele esse terrorismo.
Sei lá...
Fica aqui algo para meditar se quiserem...
Abraço amigo e parabéns sinceros pelo Post que efectuou com um brilhantismo ímpar...
Sempre a admirá-lo

pena

MUITO OBRIGADO pela visita extraordinária que adorei.
Bem-Haja, gigante e talentoso amigo.

Beatriz disse...

ola Luciano.
Boa noite.

Passei pelo teu cantinho e deixo meus parabens, um blog com sentido e alma...
este post realmente é de uma tristeza...
ninguem deveria sofrer...
para quê guerras...
para quê inemizades...
poderiamos todos ser mos felizes... bastava a uniao e o entendimento... ser mos todos irmaos.


Deixo um bjo e o meu sorriso.
Bea
mas enquanto houver interesses, vai ser assim...

Elaine Barnes disse...

Bom dia amigo! Infelizmente é sempre triste demais e doloroso constatar que a humanidade pouco evoluiu. Vejo tambémm a paz mundial muito distante,existem muitas culturas que matam em nome de Deus e outras que matam para provar seu poder ilusório. O único poder real que existe é o do amor, que tudo pode transformar,enquanto Ele não entra no Terra,a guerra se faz em muitos pontos, morrem inocentes,assim como aqui,estamos sujeitos a morrer a qualquer momento com nossos ente queridos ou não,balas perdidas,violência gratuita em nome de quê? Fico muito triste pelo planeta que vai morrendo indefeso,agredido com seus filhos perdidos. bjão

Namorado da Ria disse...

Bom dia Luciano, e boa semana.
Sim, poderiamos fazer algo e nem seria muito dificil, mas estamos todos muitos ocupados no nosso mundinho, infelizmente...
Deixo-lhe aquele abraco de sempre.
Francisco

Everson Russo disse...

Um forte abraço meu querido amigo poeta pra desejar uma belissima semana de muita poesia, amor e paz...paz de Deus na alma.

Fabiano Mayrink disse...

Luciano brigado pelos votos la no blog um abraço apertado!

Gilson disse...

É vergonhoso, um mundo que se diz tão evoluido, ainda presenciamos cenas como estas. Isso é inceitável, doi o coração de ver tantos irmãos sofrendo por nada.

Abs

Majoli disse...

Sabe Luciano, eu sinto uma inveja saudável de você...rsrs...eu só sei rabiscar versinhos e estrofres, mas não sei escrever desse jeito tão culto como você.
Meu filho mais velho, Marco Antonio, de 18 anos é assim como você, tem o dom da escrita, já eu me perco e nunca gosto dos meus textos, mas cada qual é cada qual, né mesmo?

Aqui eu descubro muito e aprendo muito mais ainda, por isso adoro te ler.

Se podemos fazer algo?
Sim, mas como disse o nosso amigo em comum Wanderley, o mundo assiste a tudo calado...uma pena.

Amei o vídeo, sou apaixonada por Imagine.

Ah, tem uma brincadeira gostosa lá no rabiscos, e eu tomei a liberdade de indicar o teu blog, espero que gostes.

Beijos com carinho e uma semana de muita paz meu querido.

Vera Y. Silva disse...

Uma vez que todas essas barbaridades são feitas em nome de Deus por pessoas que assimilaram crenças sem analisá-las bem e sem perguntar porquê, podemos:
1. tentar ter sempre uma atitude crítica e não concordar nem discordar antes de pensar bem.
2. deixar de acreditar em deus e abandonar toda e qualquer prática religiosa.

(Carlos Soares) disse...

O poema do Josué é lindo,muito bom. Esse vento ditando regras a esmo.É tudo bem abstrato mesmo nessa vida.bem pseudo. E adorei texto abaixo também,pela precoupação social.Um abraço

Sammyra Santana disse...

sinceramente, meu coração dói ao perceber que os seres humanos caminham um passo à frente e três pra trás...
não sei, não sei... procuro enxergar como vai ser isso aqui daqui há uns anos e ainda não consigo ver luz no fim do túnel...
é preciso que haja uma superação 9ou seria uma SUPER AÇÃO?).
Abraços!

Rosamaria disse...

Oi, Luciano!
O problema é que nós só olhamos para nosso umbigo, pouca gente se interessa pelos outros. Como disseste, depois de 3 dias esquecemos das tragédias que vemos pela tv. Falta alguém com liderança que comece alguma revolução, mas nossos políticos, por exemplo, só querem ganhar eleições.

Tu escreves muito bem!
Bjim.

Silvana Nunes .'. disse...

Venho aqui dar uma espiadinha e agradecer a sua visita no meu blog. Obrigada também por suas palavras carinhosas para com o meu trabalho.
Quando quiser ouvir uma história é só clicar em FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Tenha um BOM DIA.
Que a PAZ e o BEM esteja sempre com você.
Saudações Florestais !

Anônimo disse...

Ser profundamente amado por alguém nos dá força. Amar alguém profundamente nos dá coragem!*Lao-Tsé

Livinha disse...

Luciano meu querido, a gente termina de ler postagens como esta, fica de boca aberta, no silencio do lamentável, da busca de alternativas, de mudanças para que tudo isto, tenha uma saída, uma forma de mudança em favor daqueles que sofrem por ventura da violência no mundo...
O que nos resta fazer? Orar, apenas orar e compreender que os justos pagam pelos pecadores, sempre assim, porém não deixar de acreditar, que pra tudo nesta vida tem um fim e que isto haverá de se acabar... Fazer a nossa parte, trabalhar, ajudar aqueles que estão proximos de nós, socorrer abraçados as oportunidades que Deus tenta nos mostrar e depois de tudo isto, somente aguardar. O importante é não descrer, não estacionar, seguirmos avante sem ter hora de parar...

Lindo fim de semana pra ti junto aos teus.
Fica na Paz!
bjss