quarta-feira, 2 de maio de 2012

E QUE ASSIM SEJA!



Soa cortante o vento da saudade,
Embalando mémorias perdidas,
Entre as secas folhas de inverno.

Perde-se a voz, a voz do querer,
Tudo vira pó , fotografia , lembrança do passado,
Longiquo e desajeitado,
Um verão que não volta mais!

A voz do silêncio parou o tempo,
Não há desejos , como não há estrelas no céu!
Anulo em mim e promessa feita,
Desfaço o sonho de amor por toda vida.

Rasguen-se as cartas!
Engane-se a solidão !
Cheguem os novos horizontes e reconstrua-se o coração,
Sem limites …

Afinal, os desejos acordam,  quando fazem você sonhar!

E que assim seja ...






“Quando o inverno e seus ventos passarem, lá estará ela, linda e cheia de vida”
Luciano Braz


  


Um abraço para quem  aqui passar!

5 comentários:

Everson Russo disse...

Saudade essa que faz doer a alma meu amigo, que deixa o coração jogado num vazio de desejos e sonhos...abraços de bom final de semana pra ti...paz e poesias sempre.

lis disse...

Oi Luciano
Lindo poema .
Dizem que as lembranças más remetem a mágoas e as boas a saudade .O tempo desfaz as mágoas mas nao apaga a saudade, ela perpetua numa agradável melancólia .
E assim seguimos...
deixo abraços

Flor da Vida (Suelzy Quinta) disse...

Teu poema é profundo... Lindo... Tocou-me a alma...
Aplausos!!!

Meu amigo, de coração desejo tudo de melhor para ti e para os teus.
Fica com meu carinho viu?
Beijos floridos.

Livinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Livinha disse...



Poema triste mas tão tão
verdadeiro
a saudade é imbatível
são falas de amor primeiro
As recordações que ficam
tornam-se longiquoas
mas são imortais
rasguemos as cartas
que em si trepidam,
fiquemos com as lembranças
que não se apagam jamais...

Saudade de tu Lú
com as tuas palavras soltas
em sentimentos reais...


Bjinhus

Livinha